Distopia

Curitiba em 2068. Os tempos são outros, mas nem tanto. Um crime de uma ativista dos direitos humanos é apenas um destaque pequeno naquela noite. Seu assassinato traz consigo uma história que une 2018 à 2068. 50 anos que ligam Marielle e suas mães Ludmila e Gerusa. Uma história que tem como início os acontecimentos que antecedem as eleições de 2018, e os impactos nas trajetórias de vida dessas personagens até 2068. Um distopia não tão distópica assim… Esse “percurso” foi realizado nos dias XX, no fim de semana em que foi realizada a manifestação mobilizada pelos movimentos feministas contra à ascensão de ideais fascistas, machistas, racistas e lgbtqia+fóbicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s